FALSO PROFETA: Operação da Polícia Civil prende fundador da Igreja Internacional Plena Paz por suspeita de extorsão, aborto e desvio de R$2 milhões [Portal VozdoCLIENTE]

FALSO PROFETA: Operação da Polícia Civil prende fundador da Igreja Internacional Plena Paz por suspeita de extorsão, aborto e desvio de R$2 milhões Polícia Civil/MG


Divulgação/PCMG



Divulgação/PCMG

Um bispo e outras quatro pessoas foram presas pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) na Operação Falso Profeta. Marco Aurélio de Freitas Melo, de 42 anos, é presidente e bispo da Igreja Internacional Plena Paz, e é suspeito de integrar a associação criminosa responsável por desviar dinheiro e bens doados à igreja (sede e filiais).

Ele ainda enganava outros pastores a investirem num empreendimento em Goiás, com promessa de lucro, que não era honrada. Além das prisões, foram apreendidos diversos documentos comprobatórios de movimentações financeiras, além de notebooks, aparelhos celulares e veículos.

Fraudes financeiras

Entre os crimes relacionados às fraudes financeiras, como estelionato, o bispo também é investigado por estupro, estupro de vulnerável e aborto, cujas vítimas eram mulheres frequentadoras da igreja. De acordo com o Delegado Domiciano Monteiro, Chefe da Divisão de Investigação de Fraudes e Crimes contra a Administração Pública, outras vitimas devem ser ouvidas nos próximos dias. "Outras quatro vitimas de abusos sexuais devem ser ouvidas na delegacia pela nossa equipe para prestarem depoimentos. Até o momento este numero poderá totalizar cerca de 10 vitimas de abusos cometidos pelo bispo.

Os prejuízos cometidos pela quadrilha estão em torno de R$ 1 milhão, podendo chegar a quase R$ 2 milhões, que ainda será apurado pelas nossas investigações." explicou.

Bispo e esposa não quiseram se apresentar e foram considerados foragidos

O Delegado responsável pela operação, Gabriel Fonseca, contou sobre as prisões do bispo e de sua esposa. "Na ultima sexta-feira (24), três pessoas foram presas pela nossa equipe decorrente das investigações. O bispo e a mulher dele, haviam viajado para o estado de Goiás. Após tomarem conhecimento dos mandados de prisões em desfavor deles, não quiseram se apresentar à policia, nem se entregar. Resolveram fugir para a cidade de Brasília. Com o apoio da Policia Civil do Distrito Federal, conseguimos localizá-los e efetuar a prisão do casal. Com os dois detidos, foi possível trazê-los com o avião da PCMG na manhã desta quarta-feira (29) para Belo Horizonte." finalizou.

Aborto e restos do feto

Outro crime que Melo é suspeito é de induzir um aborto. Uma frequentadora da Igreja, que havia tido um relacionamento com o bispo, foi quem denunciou o crime à polícia. “Após ela engravidar, o suspeito mandou ela tomar um abortivo e, como forma punitiva, obrigou-a a comer restos do feto é ainda a estrupou”, contou o delegado.

Patrimônio

Melo fundou a igreja em 2011 e, de lá para cá, a Congregação se estendeu em mais 10 templos em Minas Gerais.

Na casa do suspeito, foram apreendidos cinco automóveis, sendo que quatro são comprovadamente doados por fiéis para a igreja. “Ainda estamos investigando o valor que ele desviou, mas em anotações dele encontramos R$ 2 milhões em desvios. Ele é sócio de uma construtora e dono de lotes no Estado de Goiás. A fase de mensurar o tamanho desse patrimônio ainda está acontecendo”, afirmou o delegado.

Celulares, notebooks e computadores doados por fiéis também foram encontrados na casa do pastor. Detido preventivamente, ele responderá por extorsão, associação criminosa, indução ao aborto e estupro de vulnerável, já que as fiéis estavam em estado de inconsciência na hora dos abusos.

Os outros quatro pastores da igreja, dentre eles a esposa de Melo, responderão apenas por extorsão e associação criminosa.

Eles foram detidos temporariamente.



Veja a reportagem na fonte.



Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias