BIBLIOTECA DE COIMBRA: Morcegos ajudam a preservar uma das bibliotecas mais antigas do mundo - Tv Record [Portal VozdoCLIENTE]

BIBLIOTECA DE COIMBRA: Morcegos ajudam a preservar uma das bibliotecas mais antigas do mundo - Tv Record Geral (Fonte indicada)




A biblioteca da Universidade de Coimbra é uma das mais antigas do mundo. Construída em 1717, a pedido do rei Dom João V, o local possuí inúmeras relíquias de Portugal e conta com guardiões especiais para preservar a história de país.

A Biblioteca Joanina é uma biblioteca do século XVIII situada no Paço das Escolas da Universidade de Coimbra, no pátio da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Apresenta um estilo marcadamente barroco, sendo reconhecida com uma das mais originais e espectaculares bibliotecas barrocas europeias. Além de local de pesquisa de muitos estudiosos, o espaço é ainda frequentemente utilizado para concertos, exposições e outras manifestações culturais.

Em 2013 o jornal britânico The Telegraph, considerou a Biblioteca Joanina como "a mais espectacular do mundo. Devido à forte necessidade de preservação, em 2014 a Biblioteca entrou para a lista bienal do World Monuments Watch.

História

A sua construção começou no ano de 1717, no exterior do primitivo perímetro islâmico, sobre o antigo cárcere do Paço Real, com o objectivo de albergar a biblioteca universitária de Coimbra, e foi concluída em 1728 .

Apesar de ter sido construída no seguimento do projecto régio de reforma dos estudos universitários (consequência da difusão das correntes iluministas em Portugal), a Biblioteca Joanina é reconhecida como uma das mais originais e espectaculares bibliotecas barrocas europeias.

O mestre de obras foi João Carvalho Ferreira. A decoração pintada só foi realizada alguns anos mais tarde, já nas vésperas da Reforma Pombalina: os frescos dos tectos e cimalhas foram executados por António Simões Ribeiro, pintor, e Vicente Nunes, dourador. O grande retrato do Rei é atribuído ao italiano Domenico Duprà e a pintura e douradura das estantes foi realizada por Manuel da Silva. O mobiliário, em madeiras exóticas, brasileiras e orientais, foi executado pelo entalhador Francesco Gualdini.

A Joanina reúne cerca de 70 mil volumes, a maior parte dos quais no andar nobre. Aí se conservam os principais fundos de Livro Antigo (documentos até 1800) da Universidade.

Os seus cerca de 1250 m² úteis actuais foram obtidos com o arranjo de dois níveis de caves, para depósito e salas de trabalho.

Fonte: Tv Record, Wikipedia


Vídeos recomendados:

Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias


Anúncios [1273 - desktop]